RedHill Biopharma anuncia avaliação positiva de futilidade pelo DSMB para estudo de Fase 2/3 do opanagibe para a COVID-19

[ad_1]

TEL AVIV, Israel e RALEIGH, N.C, 2 de fevereiro de 2021 /PRNewswire/ — RedHill Biopharma Ltd. (Nasdaq: RDHL) (“RedHill” ou a “Empresa”), empresa biofarmacêutica especializada, anunciou hoje que o Conselho de Monitoramento de Dados e Segurança (DSMB) para o estudo global de Fase 2/3 com opaganibe[1] em pacientes com COVID-19 grave, recomendaram, de forma unânime a continuação do estudo após uma análise de futilidade não cega e pré-programada de dados de eficácia dos primeiros 135 pacientes tratados no estudo e dos dados de segurança dos primeiros 175 pacientes. 

 

RedHill Biopharma Logo

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“O opaganibe é um novo inibidor da esfingosina quinase-2 (SK2) administrado por via oral com atividade antiviral, anti-inflamatória e antitrombótica demonstrada. A recomendação positiva e unânime do DSMB é um marco significativo no progresso do nosso programa de desenvolvimento para a doença da COVID-19. Em conjunto com os resultados positivos do estudo de Fase 2, esta recomendação unânime do DSMB para continuar o estudo global de Fase 2/3 sugere que estamos indo na direção certa a partir de uma perspectiva de segurança e eficácia”, declarou Mark L. Levitt, M.D., Ph.D., diretor médico da RedHill. “Este é um momento particularmente difícil na luta contra a pandemia, com mutações virais aumentando as taxas de infecção e impactando muitos aspectos da resposta da sociedade à pandemia. A necessidade de tratamentos eficazes é clara. O mecanismo de ação do opaganibe tem como alvo o componente da célula hospedeira humana SK2, que está envolvido na replicação viral dentro da célula e nas respostas inflamatórias/imunológicas a jusante. Isso significa que o opaganibe deve manter sua atividade independentemente das mutações preocupantes na proteína spike do SARS-CoV-2. Essas mutações destacam o potencial da SARS-CoV-2 para desenvolver resistência a mAbs antivirais e para ter um impacto potencial na eficácia da vacina. Esta é uma importante vantagem do opaganibe diante da crescente variedade de cepas virais e oferece a promessa de uma opção de tratamento muito necessária para ajudar a livrar os pacientes do oxigênio e a sair do hospital.”

Esta análise positiva de futilidade pelo DSMB, que sugere que o estudo global da Fase 2/3 está progredindo conforme esperado, acrescenta aos dados positivos de primeira linha de segurança e eficácia da Fase 2 do estudo dos EUA, em que o opaganibe demonstrou maior melhoria na redução do requisito de oxigênio até o final do tratamento no dia 14 em todos os principais resultados primários e secundários de eficácia, correlacionando-se com a melhora clínica, conforme definido pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em escala ordinária. Os dados da Fase 2 também mostraram nenhuma diferença de segurança de material entre os grupos tratados com opaganibe e placebo – acrescentando ainda mais ao banco de dados de segurança crescente do opaganibe. A análise completa dos dados da Fase 2, incluindo análises de biomarcadores virais e inflamatórios, fatores de risco na linha basal e estratificação do histórico de terapia de base padrão de atendimento, é esperada nas próximas semanas e está planejada para ser submetida à revisão por pares.

Em linha com a prática clínica em rápida evolução e com as diretrizes para o tratamento de pacientes hospitalizados da COVID-19, que visam minimizar a intubação do paciente e a ventilação mecânica, o desfecho primário do estudo global de Fase 2/3 é agora a proporção de pacientes que conseguem respirar ar ambiente (não mais necessitam de complementação de oxigênio) até o dia 14, anteriormente um desfecho secundário principal. A intubação e a ventilação mecânica permanecem como um desfecho secundário. De forma correspondente, um redimensionamento cego do estudo está planejado para aproximadamente 460 pacientes. Existem aproximadamente 30 unidades de estudo em 7 países, com outras unidades e países sendo adicionados nos próximos dias e semanas. Dados de primeira linha e possíveis pedidos de autorização de uso emergencial global são esperados no segundo trimestre de 2021.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Sobre o opaganibe (Yeliva®, ABC294640) 

O opaganibe, uma nova entidade química, é um inibidor seletivo de esfingosina quinase-2 (SK2) exclusivo, de primeira classe, administrado por via oral com atividades anti-inflamatórias e antivirais que tem como alvo um componente da célula hospedeira de replicação viral e que potencialmente diminui a probabilidade de resistência viral. O opaganibe também demonstrou atividade anticâncer e tem potencial para direcionar múltiplas indicações oncológicas, virais, inflamatórias e gastrointestinais.

O opaganibe recebeu da FDA dos EUA a designação de Medicamento Órfão para o tratamento de colangiocarcinoma e está sendo avaliado em um estudo de Fase 2a de colangiocarcinoma avançado e em um estudo de Fase 2 de câncer de próstata. O opaganibe também está sendo avaliado como um tratamento para a pneumonia resultante da COVID-19 em um estudo global de Fase 2/3 e demonstrou sinais positivos de segurança e eficácia em dados preliminares de primeira linha de um estudo de Fase 2 dos EUA.

Dados pré-clínicos demonstraram atividades anti-inflamatórias, antivirais e antitrombóticas do opaganibe, com potencial para melhorar doenças inflamatórias pulmonares, como pneumonia e mitigar danos fibróticos pulmonares. O opaganibe demonstrou atividade antiviral potente contra SARS-CoV-2, o vírus que causa a COVID-19, inibindo completamente a replicação viral em um modelo in vitro de tecido brônquico de pulmão humano. O opaganibe também demonstrou ter reduzido o tamanho do coágulo sanguíneo, o peso e a pontuação total de trombos no modelo pré-clínico da Síndrome do Desconforto Respiratório Agudo. Além disso, estudos pré-clínicos in vivo [2] demonstraram que o opaganibe diminuiu as taxas de mortalidade por infecção pelo vírus influenza e melhorou a lesão pulmonar induzida por Pseudomonas aeruginosa reduzindo os níveis de IL-6 e TNF-alfa em fluidos de lavagem broncoalveolares.

O opaganibe foi originalmente desenvolvido pela Apogee Biotechnology Corp. sediada nos Estados Unidos e concluiu vários estudos pré-clínicos bem-sucedidos em modelos de oncologia, inflamação, gastrointestinal e radioproteção, bem como um estudo clínico de Fase 1 em pacientes com câncer com tumores sólidos avançados e um estudo de Fase 1 adicional em mieloma múltiplo.

O desenvolvimento do opaganibe foi apoiado por concessões e contratos de agências federais e estaduais do governo dos EUA concedidas à Apogee Biotechnology Corp., incluindo do NCI, BARDA, Departamento de Defesa dos EUA e Departamento de Desenvolvimento de Medicamentos Órfãos do FDA.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os estudos em andamento com o opaganibe estão registrados no www.ClinicalTrials.gov, um serviço na web do Instituto Nacional de Saúde dos EUA que oferece acesso público a informações sobre estudos clínicos com apoio público e privado.   

Sobre a RedHill Biopharma    

A RedHill Biopharma Ltd. (Nasdaq: RDHL) é uma empresa biofarmacêutica especializada com foco principal em doenças gastrointestinais e infecciosas. A RedHill promove os fármacos gastrointestinais Movantik® para constipação induzida por opioides em adultos[3]Talicia® para o tratamento de infecção por Helicobacter pylori (H. pylori) em adultos[4]Aemcolo® para o tratamento de diarreia de viajantes em adultos[5]. Os principais programas de desenvolvimento clínico em estágio final na RedHill incluem: (i) RHB-204, com um estudo em andamento de Fase 3 para doenças pulmonares por microbactérias não tuberculosas (NTM); (ii) opaganibe (Yeliva®, ABC294640), umexcelenteinibidor seletivo de SK2 que visa múltiplas indicações com um programa de Fase 2/3 para COVID-19 e estudos de Fase 2 para câncer de próstata e colangiocarcinoma em andamento; (iii) RHB-107 (upamostat), um inibidor de serina protease com um estudo planejado de Fase 2/3 para COVID-19 sintomática e que visa outros tipos de câncer e doenças gastrointestinais inflamatórias; (iv) RHB-104, com resultados positivos de um primeiro estudo de Fase 3 para a doença de Crohn; (v) RHB-102 (Bekinda®), com resultados positivos de um estudo de Fase 3 para gastroenterite e gastrite aguda e resultados positivos de um estudo de Fase 2 para IBS-D; e (vi) RHB106, uma preparação intestinal encapsulada. Mais informações sobre a empresa estão disponíveis no site www.redhillbio.com / https://twitter.com/RedHillBio.

NOTA: Este comunicado à imprensa, fornecido para fins de conveniência, é uma versão traduzida do comunicado à imprensa oficial publicado pela empresa no idioma inglês. Para obter o comunicado de imprensa completo em inglês, incluindo a isenção de responsabilidade das declarações prospectivas, acesse: https://ir.redhillbio.com/press-releases.

 

Contato da empresa: 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Adi Frish

Diretor Corporativo e de Desenvolvimento de Negócios

RedHill Biopharma

+972-54-6543-112

[email protected] 

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Contato para a imprensa (EUA): 

Bryan Gibbs

Vice-presidente

Finn Partners

+1 212 529 2236

[email protected] 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

[1] O opaganibe é um novo fármaco experimental que não está disponível para distribuição comercial.

[2] Xia C. et al. A inibição transitória de esfingosina quinases confere proteção a camundongos infectados com o vírus influenza A. Antiviral Res. Out. 2018; 158:171-177. Ebenezer DL et al. Pseudomonas aeruginosa estimula a geração de esfingosina-1-fosfato nuclear e a regulação epigenética da lesão inflamatória pulmonar. Thorax. Jun. 2019;74(6):579-591.

[3] As informações completas sobre a prescrição de Movantik® (naloxegol) estão disponíveis no site: www.Movantik.com. 

[4] As informações completas sobre a prescrição de Talicia® (omeprazol magnésio, amoxicilina e rifabutina) estão disponíveis no site: www.Talicia.com.  

[5] As informações completas sobre a prescrição de Aemcolo® (rifamycin) estão disponível no site: www.Aemcolo.com.

Logo: https://mma.prnewswire.com/media/1334141/RedHill_Biopharma_Logo.jpg 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

FONTE RedHill Biopharma Ltd.



[ad_2]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *