Pix já domina cerca de 80% das transferências bancárias

[ad_1]

O sistema de pagamentos e transferências instantâneas do Banco Central (BC), chamado Pix, está funcionando desde novembro de 2020. Essa novidade tecnológica já representa 80% das transferências bancárias no país.

É provável que você também goste:

Guiabolso agora tem acesso integrado aos dados dos usuários do Bradesco

Procon: C6 Bank leva multa de R$ 7 milhões por empréstimos não solicitados

Pix representa 80% das transferencias bancárias

O site 6 Minutos, que é administrado pelo banco digital C6 Bank, efetuou uma pesquisa nos dados do Banco Central, bem como da Câmara Interbancária de Pagamentos (CIP). Conforme os dados levantados pelo site, entre o dia 01 de janeiro, até o último domingo(17), foram realizadas 87,1 milhões de transferências através do Pix. Esse número representa quase 80%.

Já os TEDs, ficaram em segundo lugar, com 18 milhões de operações. Em terceiro, estão os DOCs, com 6,5 milhões. Vale lembrar, que em dezembro do ano passado, as transações do Pix representavam 68,5% do total de transferências. 

Um dado curioso, é que o valor médio das transferências através do Pix é de R$ 700, enquanto que nos TEDs é de R$ 49,90. Ou seja, o valor de transferência via Pix é 1302% maior.

Sobre a adesão da população ao Pix

Embora o Pix esteja apresentando esses altos índices de transferências, ainda há uma grande parte da população que não possui discernimento sobre a solução. Uma pesquisa realizada em dezembro, pela área de Inteligência de Mercado da Rede Globo, constatou que aproximadamente 30% da população brasileira tem desconhecimento sobre todas as funções do Pix. Dentre elas, muitos não sabem que é possível realizar pagamentos em estabelecimentos comerciais físicos e online. 

Um dos fatores que justificaria esse déficit, seria a baixa adesão do comércio ao Pix. A grande maioria das empresas, não possuem ferramentas que permitem o uso da solução para pagamentos em suas lojas. Porém, espera-se que esse cenário mude nos próximos meses, assim que os lojistas perceberem as vantagens do Pix. 

Além disso, os baixos custos operacionais que o Pix proporciona, também fazem com que a solução venha a cair no gosto das pessoas. Enquanto que cada transação do Pix custa R$ 0,0001 para os bancos, o TED ou DOC custa aproximadamente 97,5% mais. 

Os usuários do Pix também contam com tarifa zero em transferências ou pagamentos. E para os estabelecimentos comerciais, o custo das operações tem um valor muito pequeno, quando comparado aos métodos tradicionais. E aos e-commerces, também acabou a dor de cabeça: ao invés de pagar um boleto, o cliente pode escolher a opção Pix. 

Enfim, gostou da matéria?

Então é só seguir o Seu Crédito Digital no YouTube, Facebook, TwitterInstagram, e Twitch. Assim você vai acompanhar tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito, empréstimos etc. Siga a gente para saber mais!

Imagem: rafapress/shutterstock.com



[ad_2]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *