N26 ultrapassa 7 milhões de clientes ao redor do mundo

[ad_1]

O banco digital alemão N26 está chegando ao Brasil. Há cerca de dois anos a empresa promete trazer seus serviços para as terras brasileiras, mas neste ano finalmente eles resolveram criar uma lista de espera para nós. E o Brasil faz parte do plano estratégico de crescimento do N26 no mundo todo. Atualmente, o N26 ultrapassou a marca de 7 milhões de clientes ao redor do mundo.

É provável que você também goste:

Saiba tudo sobre o banco digital N26 antes dele chegar ao Brasil

N26 se prepara para crescer no Brasil, mas Nubank tem a vantagem de jogar em casa

Nubank levanta US$ 400 milhões e já vale mais que o Banco do Brasil

O banco alemão teve um forte crescimento nos mercados europeus e nos EUA devido À mudança dos hábitos financeiros causados pela pandemia do coronavírus. Além disso, como o N26 trabalha na mesma lógica de taxas baixas e gratuidades do nosso brasileiro Nubank, a crise financeira que os países europeus e os Estados Unidos sofreram também estão entre os motivos que levaram esses povos a aderirem ao banco digital e encerrar suas contas nos bancos tradicionais.

Na Europa, o grande concorrente do N26 no ramo de bancos digitais é o britânico Revolut, que também prepara sua chegada no Brasil. E ambos se beneficiaram durante essa pandemia. O N26 atinge fortemente na Europa os clientes de 20 a 34 anos, mas cresce mais rapidamente entre os clientes de 18 a 19 anos, seguidos por aqueles com 65 anos ou mais. Em seu sexto ano de operação, o N26 atua hoje em 25 países da Europa e dos EUA.

N26 ultrapassa 7 milhões de clientes, mas ainda está no prejuízo

O N26 atingiu recorde nos valores globais de transações em todo o mundo com seus serviços. Foram mais de € 5,5 bilhões mensais, ou seja, cerca de R$ 36,2 bilhões. Entretanto, apesar do crescimento de receitas em relação a 2019, o N26 ainda está em déficit.

Seus últimos números, que se aplicam ao exercício de 2019, demostram um prejuízo líquido de quase € 217 milhões (R$ 1,4 bilhão). Muito disso foi contabilizado por uma expansão de suas operações em toda a Europa, incluindo um novo hub tecnológico em Viena e nos EUA, triplicando o número de funcionários para 1.500.

O banco aumentou seu lucro líquido de juros – uma medida fundamental de rentabilidade – em 82% no ano para € 9,3 milhões (R$ 61,3 bi), enquanto o lucro líquido da comissão – que inclui a receita de assinatura e transações de pagamento – aumentou mais de 150%, atingindo € 47,5 milhões (R$ 303,3 bi). Por fim, a receita de quase € 100 milhões (R$ 659,3 milhões) foi acima de € 43,6 milhões (R$ 287,6 mi) em 2018.

Enfim, gostou da matéria?

Então, nos siga no canal do YouTube, em nossas redes sociais como o FacebookTwitter e Instagram. Assim acompanhará tudo sobre bancos digitais, cartões de crédito digitais,  empréstimos e matérias relacionadas ao mundo de fintechs.

Imagem: T. Schneider / Shutterstock.com



[ad_2]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *