GCA anuncia principais iniciativas de adaptação na Cúpula de Adaptação Climática 2021

[ad_1]

ROTTERDAM, Holanda, 27 de janeiro de 2021 /PRNewswire/ — O Centro Global de Adaptação (GCA) fez hoje uma série de anúncios importantes durante a cúpula de adaptação climática (CAS2021) sediada na Holanda. A primeira cúpula internacional para líderes globais com o objetivo de desencadear a mudança sistêmica necessária para acelerar o movimento de adaptação global rumo a um mundo resiliente às mudanças climáticas. Durante a cúpula, o trabalho do GCA foi endossado por uma série de líderes mundiais, incluindo Ali Bongo Odimba, presidente do Gabão; Nana Akufo-Addo, presidente de Gana; Keith Mitchell, primeiro-ministro de Granada; Carlos Alvarado Quesado, presidente da Costa Rica, Sheikh Hasina, primeiro-ministro de Bangladesh e Uhuru Kenyatta, presidente do Quênia.

Kristalina Georgieva, Managing Director of the IMF speaks to Patrick Verkooijen, CEO of Global Center on Adaptation and Cora van Niewenhuizen, Dutch Minister for Infrastructure and Water during the Climate Adaptation Summit 2021

A cúpula ocorreu ao mesmo tempo em que a pandemia continua a afetar o progresso recente no desenvolvimento da resiliência climática, deixando países e comunidades mais vulneráveis a impactos futuros. Um relatório do GCA “Estado e Tendências na Adaptação 2020” mostrou que o financiamento global precisa aumentar em dez vezes, ou seja, US$ 300 bilhões por ano, para atender às estimativas do programa de meio ambiente da ONU no que é necessário para responder ao aumento dos riscos climáticos. Um relatório técnico complementar chamado “Financiamento de Adaptação no Contexto da Covid-19” estimou que o financiamento para a adaptação climática caiu até 10% em 2020, revertendo a tendência de longa década de aumentar o financiamento de adaptação para os países em desenvolvimento.

Diálogo Ministerial
No início da CAS2021, o GCA organizou o seu primeiro Diálogo Ministerial anual com mais de 50 ministros e líderes de organizações internacionais para ampliar a cooperação de lideranças globais a fim de acelerar a adaptação climática. Daqui para frente, ele também servirá como um fórum anual de destaque da adaptação às mudanças climáticas, atuando como uma alavanca para a liderança global impulsionar uma década de transformação para um mundo resiliente às mudanças climáticas até 2030.

Presidindo a reunião, Ban Ki-moon, copresidente do Centro Global de Adaptação, disse:
“Neste Diálogo Ministerial do GCA, esperamos alcançar três coisas: um salto qualitativo na ambição para que a adaptação receba o financiamento e a atenção que ela merece. Precisamos de um salto qualitativo no financiamento para mobilizar centenas de bilhões de dólares para a transformação desta década. E precisamos fortalecer parcerias e trocas de conhecimento para disponibilizar as melhores soluções e abordagens para todos.”

Kristalina Georgieva, diretora administrativa do Fundo Monetário Internacional e membro do Centro Global de Adaptação disse:
“O FMI oferecerá maior apoio às políticas, aos planos de investimento e às habilidades que os países precisam para fortalecer a sua resposta às mudanças climáticas. Reduzir as emissões e desenvolver resiliência é bom em todos os sentidos – bom para o crescimento e para o trabalho, para a saúde e para o nosso planeta.”

John Kerry, enviado presidencial sobre assuntos climáticos dos EUA, fez o discurso principal e comentou que:
Todos os países agora estão aprendendo a lidar com as mudanças climáticas. Mas ninguém tem todas as respostas. Quanto mais rápido coletarmos informações uns dos outros, compartilharmos dados, mais rápido poderemos unir os nossos esforços para fazer o que todos sabemos que é necessário. Quanto mais rápido pudermos implementar boas soluções, mais cedo todos poderemos começar a fazer economias nos orçamentos já apertados ao redor do mundo.”

Patrick Verkooijen, CEO do Centro Global de Adaptação, disse:
“A Covid-19 introduziu uma era de múltiplos choques sistêmicos interligados, que exigem soluções igualmente eficientes e coordenadas. A adaptação deve ser o âmago de nossa recuperação. Combinar os preços do carbono, que aumentam continuamente, com um impulso de infraestrutura verde pode impulsionar o PIB global nos próximos 15 anos em cerca de 0,7% e gerar empregos para milhões de pessoas. Isso nos tornará melhor preparados para futuros choques.”

Programa de Aceleração da Adaptação na África (AAAP)
A urgência em vista da COVID-19 e das crises climáticas exige um impulso acelerado nos esforços da adaptação climática da África. O Banco do Desenvolvimento Africano e o Centro Global de Adaptação (GCA) anunciaram que estão unindo forças para usar seus conhecimentos complementares, seus recursos e suas redes para lançar um novo programa reforçado de aceleração da adaptação na África (AAAP). Este programa de referência se concentrará na agricultura, infraestrutura, juventude e finanças inovadoras. O Banco de Desenvolvimento Africano se comprometeu a mobilizar $ 25 bilhões como financiamento climático entre 2020 e 2025, dos quais pelo menos 50% ($ 12,5 bilhões) apoiará a adaptação climática e o desenvolvimento da resiliência. O Banco de Desenvolvimento Africano e o GCA usarão isso para levantar $ 12,5 bilhões adicionais com outros parceiros-chave no intuito de apoiar os governos africanos, o setor privado e a sociedade civil na ampliação de soluções efetivas de adaptação.

Um exemplo do GCA e da abordagem transformadora do Banco de Desenvolvimento Africano para acelerar a adaptação é um projeto já em andamento em Gana para desenvolver sua primeira avaliação em nível nacional da resiliência de seus sistemas de infraestrutura quanto às mudanças climáticas. Ao explorar e apresentar os potenciais benefícios das soluções baseadas na natureza como parte do pacote de investimento em nível nacional em infraestrutura cinza e verde, Gana funcionará como um país de referência de como reduzir os custos e melhorar os ecossistemas.

Ao comentar sobre o lançamento do programa, Akinwumi Adesina, presidente do Banco de Desenvolvimento Africano, disse:
“Precisamos trabalhar juntos para acelerar o movimento de adaptação na África, um continente na linha de frente da emergência das mudanças climáticas. O anúncio com o GCA hoje marca o início de um grande esforço global para garantir que os países em desenvolvimento tenham o financiamento para o clima que precisam para implementar e ampliar as soluções de adaptação climática.”

Feike Sijbesma, copresidente do Centro Global de Adaptação, disse:
“Todos estamos testemunhando como a mudança climática está afetando visivelmente as pessoas, as sociedades e os negócios. Devemos adotar uma abordagem estratégica e integrada para adaptar e desenvolver as inovações e soluções arrojadas para este desafio global. Tudo isso em combinação com nosso esforço contínuo de mitigar as mudanças climáticas por meio da redução de nossas emissões.”

Liderança
Jovem
 Após o apelo para um milhão de jovens de mais de 115 países para “Adaptarem-se para o nosso Futuro”, Akinwumi Adesina, presidente do Banco de Desenvolvimento Africano, e Patrick Verkooijen, CEO do GCA, anunciaram que o programa de aceleração da adaptação africana fortalecerá os ecossistemas que apoiam o empreendedorismo de adaptação climática e a participação da juventude nas políticas de adaptação. Ele também ampliará as inovações de adaptação climática por meio do fortalecimento dos serviços de desenvolvimento de negócios para 10.000 empresas de proprietários jovens e 10.000 jovens com ideias empreendedoras sobre empregos e adaptação. O programa ainda desenvolverá habilidades personalizadas e oferecerá pacotes de ferramentas iniciais para 1 milhão de jovens a fim de prepará-los para trabalhos de resiliência ao clima e oportunidades de empreendimento para a adaptação. Por fim, um crédito de USD 3 bilhões também será disponibilizado para o movimento de adaptação de empresas inovadoras de proprietários jovens por meio de instrumentos financeiros inovadores.

Estado e Tendências da Troca de Conhecimento
O GCA lançou o Estado e Tendências da Troca de Conhecimento para a Adaptação (sigla em inglês, STAKE)a fim de tornar os dados, as informações e os aprendizados sobre a adaptação às mudanças climáticas acessíveis e acionáveis, com o objetivo de envolver os formuladores de políticas, os profissionais, os especialistas e outras partes interessadas. A nova plataforma conecta áreas da ciência, política e prática por meio de elementos específicos, como o Portal de Adaptação, que abrange dados, soluções e insights, a série de relatórios das Comunidades de Prática, o Estado e Tendências e o Planejamento do Movimento de Adaptação; ou seja, soluções de intermediação para acelerar o movimento de adaptação da escala local para a global. O Portal de Adaptação oferece visualização de dados, soluções, análises e insights sistematizados sobre o estado e as tendências da resiliência e adaptação às mudanças climáticas.

Iniciativa “1.000 cidades se adaptam agora”
Durante a Cúpula, o prefeito da Rotterdam, Ahmed Aboutaleb, apresentou o programa global de 10 anos chamado 1.000 cidades se adaptam agora. O programa “1.000 cidades se adaptam agora (1000CAN)” é um programa global que visa uma recuperação verde e justa pós COVID-19 — uma recuperação que ajuda a criar novos empregos, melhorar a equidade e preparar comunidades para se adaptar às ameaças climáticas e à saúde. A coalizão dos parceiros da rede, incluindo o GCA, que sediará o programa, buscou o compromisso de outros prefeitos para fortalecer o papel das cidades em melhorar o nosso meio ambiente, o nosso clima e a nossa sociedade em preparação para a COP26 e além. Isso resultou na apresentação da Declaração Conjunta de Aceleração da Adaptação Climática nas Cidades a líderes mundiais, incluindo o primeiro-ministro Mark Rutte.

O prefeito Aboutaleb, falando no lançamento, disse:
“Todos os dias, as cidades estão lidando com os efeitos da mudança climática e a necessidade de se adaptar para ser resiliente. É nossa tarefa, como prefeitos de cidades em todo o mundo, abordar esses problemas e gerar soluções. Com a Declaração Conjunta da Aceleração da Adaptação Climática nas Cidades, nós enfatizamos nossas ambições e a necessidade de acelerar e ampliar as medidas de adaptação de 1.000 cidades na próxima década.”

Vivendo com água: a adaptação climática nos deltas ao redor do mundo
O GCA lançouum relatório sobre adaptação climática nos deltas ao redor do mundo que apresenta uma série de estudos de casos de adaptação de faróis e estabelece como ampliar e acelerar a adaptação nesses hotspots climáticos. O relatório sinalizou que a adaptação climática em áreas de delta é um problema complexo e que a compreensão sobre os deltas requer uma coleta de dados climáticos melhor e de acesso aberto.  O relatório também observou que tornar os deltas mais resilientes ao clima requer décadas e estruturas legais e políticas que sejam conduzidas a longo prazo, planejamento integrado e orçamentos previsíveis, mas, ao mesmo tempo, o movimento de adaptação é urgente e precisa começar imediatamente.

Iniciativa gratuita e on-line de educação global
O GCA anunciou que está colaborando com a Universidade de Groningen na Holanda para oferecer cursos on-line gratuitos sobre a Governança da Adaptação Climática pela FutureLearn. O primeiro curso é Governança da Adaptação Climática – Fazendo a Adaptação Climática Acontecer. Além disso, a Universidade de Groningen começará a oferecer uma especialização na Governança da Adaptação Climática a partir de setembro de 2021.

07887 804594, [email protected]a.org

The Global Center on Adaptation is an international organisation hosted by the Netherlands

Foto – https://mma.prnewswire.com/media/1426338/Kristalina_Georgieva.jpg
Logotipo – https://mma.prnewswire.com/media/1044191/GCA_Logo.jpg

 

FONTE The Global Center on Adaptation



[ad_2]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *